TV CONSUMIDOR TVU ONLINE FEDC - RS NOTÍCIAS RECOMENDAMOS QUEM SOMOS CONTATO  
A Hora de Reduzir se Aproxima
   
     
 


27/11/2017

A Hora de Reduzir se Aproxima
Artigo de Vitor Augusto Koch presidente da FCDL/RS

Um empreendedor sabe que ganhar dinheiro com as atividades empresariais não é o único fator do sucesso.

Se não cuidarmos dos custos, muito provavelmente teremos desagradáveis surpresas cedo ou tarde.

E quando se fala em despesas, é lógico que não podemos deixar de estar com os olhos abertos para os impostos que pagamos.

No primeiro semestre deste ano, fomos prejudicados com altas tributárias ocorridas em nome da queda da arrecadação federal.

A mais impactante foi a absurda elevação do PIS/CONFINS sobre combustíveis.

Mesmo que em alguns negócios o preço dos combustíveis não seja tão relevante de forma direta, não se pode esquecer que os consumidores passam a gastar mais com álcool, gasolina e diesel, encurtando a despesa com as compras de bens e serviços.

Dito isto, vale a pena dar uma analisada na arrecadação federal de impostos.

A receita da União em outubro chegou a R$ 121,4 bilhões, o que, apesar do montante elevado, significou uma queda de 20,73% em relação ao mesmo mês de 2016.

Antes de imaginarmos que os arrecadadores estão ficando moles ou que a recessão continua – como afirmaram alguns analistas – é importante analisar as contas públicas de uma forma mais detalhada.

Em outubro do ano passado os cofres da União contabilizaram a entrada de cerca de R$ 36,5 bilhões extras em função da “anistia” à entrada de dinheiro de brasileiros que existia no exterior e não era declarado por seus donos.

O desequilíbrio ocorreu em função da repatriação de recursos de origem, no mínimo, questionável e que foram legalizados, contrariando princípios éticos básicos.

O fato é que desconsiderando estes capitais de procedência nebulosa, a arrecadação federal cresceu 4,15% entre outubro de 2017 e igual mês do ano passado.

A receita de IPI aumentou 8,37%; do imposto de importação, 19,4%; e das contribuições, 10,7%.

Isto mostra que a atividade econômica está sendo retomada e o governo federal não tem mais motivos para aumentar impostos.

Em 2018 esta rota de recuperação da receita federal tende a se consolidar.

Fiquemos atentos para que os gastos públicos não aumentem para que possamos reforçar nosso movimento de redução de impostos em um futuro próximo.

Vitor Augusto Koch, Presidente FCDL-RS

Fonte: Vitor Augusto Koch
Autor: O autor
Revisão e edição: de responsabilidade da fonte

Imprimir Enviar link

   
     
 
Comentários
 0 comentários


   
       
     



     
   
     
   
     
 




































 
     
   
     
 
 
 
     
 
 
     
     
 
 
       
Rua Dr. Flores n. 263, conjunto 1101
CEP: 90020-122 - Porto Alegre/RS
+55 (51) 3321.3535 / 9997.3535
appel@consumidorrs.com.br